Pelo Comité Editorial Blog Ividador

falta de desejo sexual do homem

Stress e sexualidade

O cansaço e o stress são as principais causas da falta de desejo sexual do homem. A libido masculina varia muito de homem para homem e pode diminuir, de forma temporária, devido a fatores como a ansiedade ou a fadiga. Também é normal, e natural, que o desejo sexual do homem decresça gradualmente com o […]

O cansaço e o stress são as principais causas da falta de desejo sexual do homem. A libido masculina varia muito de homem para homem e pode diminuir, de forma temporária, devido a fatores como a ansiedade ou a fadiga. Também é normal, e natural, que o desejo sexual do homem decresça gradualmente com o avançar da idade. A diminuição da libido pode ser combatida por meios naturais e vitaminas, mas, em alguns casos, pode também ser necessário o recurso a medicamentos ou terapia de suplementação de testosterona.

 

Diminuição da libido

A falta de desejo sexual do homem corresponde à diminuição da libido, ou seja, uma redução no impulso sexual. São vários os motivos que podem levar a esta redução, sendo que os fatores psicológicos são uma das principais causas apontadas.

Alguns dos fatores mais comuns são o stress, a depressão e a ansiedade. A toma de alguns medicamentos e a baixa concentração de testosterona no sangue também têm um impacto significativo na libido e, nestes casos, é necessário um diagnóstico médico e, dependendo da causa, o médico pode receitar um novo medicamento, recomendar terapia de suplementação de testosterona ou sugerir aconselhamento psicológico.

 

Impacto do stress

Um estudo realizado com 5.255 homens heterossexuais de vários países europeus ofereceu dados empíricos sobre o impacto que o stress tem na vida sexual do homem. De acordo com os inquiridos, o cansaço e o stress no trabalho são as causas que mais prejudicam o seu desejo sexual.

Este impacto é mais sentido em homens entre os 30 e 39 anos, o que se explica por se tratar da faixa etária normalmente mais sujeita à concentração de eventos com uma elevada carga de stress associada. Durante este período, os homens tomam decisões significativas, como decidir abraçar o desafio da paternidade, casar ou divorciar, ou realizar investimentos de tempo e dinheiro na sua carreira profissional.

A seguir ao cansaço e ao stress, os fatores mais comuns para a diminuição da libido são os problemas na relação. Os conflitos ou o afastamento entre o casal leva ao surgimento de problemas sexuais como a ejaculação precoce ou a incapacidade do homem em manter a ereção.

Os especialistas indicam que outro fator, cada vez mais relevante na sociedade atual, prende-se com o consumo exagerado de pornografia e a masturbação excessiva. Muitas vezes a pornografia é vista como um escape ao stress do dia a dia e a masturbação como uma forma de relaxar. No entanto, em excesso, estas práticas levam à diminuição do desejo em casais estáveis e de longa duração.

 

Stress emocional

A causa mais frequente de stress emocional é a ansiedade, que bloqueia o mecanismo da ereção. Muitas vezes os homens desenvolvem ansiedade associada ao medo de ejacular muito rápido, de não ter a performance sexual que idealizaram, ou de não dar prazer à parceira. Este tipo de ansiedade pode alcançar níveis tão altos que o homem não consegue atingir a ereção durante o ato sexual.

Adicionalmente, quando um homem não consegue uma ereção pela primeira vez, principalmente por um motivo não identificado, fica com receio de que esta situação ocorra mais vezes e sente maior inibição durante o ato sexual. O mesmo ocorre quando existe falta de controlo ejaculatório.

 

Tratamento da diminuição da libido

Quando a principal causa é o stress, o conselho imediato é eliminar o que o está a provocar. No entanto, a solução não é assim tão simples. Muitas vezes a causa do stress não pode ser facilmente removida da vida do indivíduo, ou a causa é desconhecida.

Quando a causa da diminuição da libido é psicológica, o tratamento pode passar pela terapia psicológica, incluindo terapia comportamental ou aconselhamento para casais com problemas no relacionamento.

Se o motivo da falta de desejo sexual do homem estiver relacionado com níveis baixos de concentração de testosterona, um médico pode receitar a administração de testosterona suplementar sob a forma de injeção, ou através da aplicação de um adesivo, ou gel na pele.  A baixa testosterona no sangue denomina-se por hipogonadismo e o seu diagnóstico depende não só da concentração de testosterona no sangue, mas também dos sintomas apresentados. O nível de testosterona pode ser medido através de um simples exame laboratorial ao sangue.

Quando a disfunção sexual ocorre porque existe uma falha nos nervos que estimulam o pénis, após o devido diagnóstico, o médico pode recomendar um tratamento de autoinjeção de medicação para provocar a vasodilatação no pénis, permitindo maior circulação de sangue.

É importante notar que um decréscimo de desejo sexual, acompanhado por dificuldades de ereção não corresponde necessariamente a um diagnóstico de impotência. A disfunção erétil, ou seja, a impotência, é caracterizada pela falta de ereção permanente. Isto significa que ocorrências esporádicas ou problemas em alcançar uma ereção devido a fatores psicológicos e emocionais não configuram doença de impotência.

Muitos homens apresentam resistência à procura de ajuda médica quando se deparam com problemas relacionados com a sua sexualidade. É comum que a primeira consulta seja marcada pela parceira, pois o homem tem dificuldades em admitir a existência de problemas em manter relações sexuais. No entanto, é importante procurar acompanhamento médico, quer a causa esteja ligada a problemas físicos ou emocionais.

 

 

A falta de desejo sexual do homem, ou seja, a diminuição da libido, tem implicações sérias no bem-estar emocional do homem. Quando existe um decréscimo no impulso sexual masculino, os homens têm menos pensamentos e fantasias sexuais e mantêm relações sexuais com menor frequência. Muitas vezes, as tentativas de contrariar a falta de desejo sexual, através de estimulação sexual por imagens ou toque não surtem efeito, e podem até ter o efeito oposto.

No entanto, a falta de desejo sexual não significa que o homem não seja sexualmente ativo. Mesmo com baixa libido, muitos homens mantêm a sua função sexual e continuam a manter relações sexuais para satisfazer a sua parceira. Esta situação pode agravar o impacto emocional e tornar a recuperação mais difícil e prolongada, pois as causas que levaram à diminuição da libido não são investigadas e tratadas.

Se pensas que o teu desejo sexual está a diminuir, marca uma consulta com um médico especialista para um diagnóstico correto e um tratamento eficaz, seja por meio de acompanhamento psicológico, terapia, medicação ou simplesmente a adoção de hábitos de vida mais saudáveis para a diminuição dos níveis de stress.

Tambien te puede interesar

Doação de esperma

A Covid-19 afetou profundamente a sociedade e trouxe novas preocupações ao nível da saúde e da forma como nos inter-relacionamos.  Se estás a pensar fazer uma doação de esperma, mas não tens a certeza do impacto que o novo coronavírus pode ter na doação, explicamos-te todas as precauções a tomar e como podes realizar uma […]

9 Fevereiro, 2022
sintomas de ansiedade

Os sintomas de ansiedade podem-se manifestar tanto a nível físico como psicológico. A nível mental e psicológico os sintomas podem surgir na forma de pensamentos negativos, insegurança, preocupação ou medo. A nível físico, os sintomas podem traduzir-se numa sensação de aperto no peito, suores ou tremores. Na maioria das vezes, surgem vários sintomas ao mesmo […]

17 Dezembro, 2021
atividade física desportiva

Cada vez mais o exercício físico em casa faz parte do dia a dia dos portugueses. A atividade física desportiva é um termo abrangente que se baseia na prática consciente de atividade física para alcançar um objetivo específico, como melhorar a saúde ou ganhar músculo. Neste artigo partilhamos os tipos de exercícios que podes fazer […]

17 Novembro, 2021